DIA DO VOLUNTÁRIO REÚNE 300 PESSOAS EM AÇÕES SOCIAIS EM CURITIBA

Iniciativa do Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial do Sistema Fiep envolve voluntários em ações voltadas aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio

Voluntários de Curitiba e Região Metropolitana realizaram um trabalho diferente neste domingo (30). Mais de 300 pessoas participaram das atividades da 4ª edição do Dia do Voluntário (Dia V), que teve como foco os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). Iniciativa do Conselho Paranaense de Cidadania Empresarial (CPCE) do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), o evento é uma homenagem aos voluntários e um estímulo à participação de mais pessoas em ações de responsabilidade social.
“O Sistema Fiep comemora com muita festa e solidariedade mais uma edição do Dia V. As ações dirigidas aos ODM possibilitam que as pessoas escolham a atividade que mais lhe agrada e pratiquem a solidariedade”, disse o presidente d
e Honra do CPCE, Mario De Mari.
As ações marcaram, também, a comemoração do Dia Internacional do Voluntário, instituído pela ONU em 2001. A data é celebrada mundialmente em 5 de dezembro. Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2006 apontam que aproximadamente 7% da população brasileira desenvolve algum tipo de trabalho voluntário
e não-remunerado em ajuda a instituição religiosa, beneficente ou de cooperativismo.
“Estamos celebrando algo que praticamos diariamente em todas as ações do Sistema Fiep: a cidadania”, afirmou o diretor regional do Senai Paraná, João Barreto Lopes, elogiando a prática voluntária realizada no dia a dia das pessoas. “Isso não é sonho, é realidade”, disse.
Para cada um dos Objetivos do Milênio foram realizadas ações diferenciadas, como almoço para 180 crianças e voluntários da Cozinha Comunitária S
ão Francisco de Assis, na região da Borda do Campo, em São José dos Pinhais, limpeza do Instituto de Educação do Paraná, ações recreativas com crianças do Hospital Pequeno Príncipe, visita a crianças portadoras do vírus HIV, idosos do Asilo São Vicente de Paulo e plantio de árvores.
Segundo a assistente social do Asilo São Vicente de Paulo, Sheila de Marco, o trabalho voluntário é fundamental. “As atividades do Dia V proporcionaram um domingo mais feliz para as idosas que moram na casa. Domingo é um dia que geralmente não recebemos muitas visitas, por isso o trabalho desses voluntários foi muito importante para o bem-estar de nossas moradoras”, disse, ressaltando que hoje o Asilo abriga 155 idosas e conta com a ajuda de 84 voluntários.
Zumira Cordeiro Gonçalo, de 75 anos, é uma das ido
sas que participou das atividades. “O trabalho voluntário é muito importante. Muita gente não dá valor, mas se cada um fizer um pouco, conseguimos muito.”
Segundo o diretor do Instituto de Educação do Paraná, José Frederico de Mello, a ação envolveu, além dos voluntários, alunos, pais e professores da escola. “É uma lição de vida e cidadania que vai ajudar nossa escola.”
Fabio Oliveira trabalha no departamento de Recursos Humanos da Rede Paranaense de Comunicação (RPC) participou do almoço comunitár
io. “A participação de todos é fundamental. Uma coisa é você ouvir e imaginar, a outra é você participar das ações e conhecer a realidade das pessoas”, disse.
Jovens também participaram das atividades. “Esta é a segunda vez que participo do Dia V. Ano passado fui à represa do Iraí plantar árvores e hoje, participei do plantio de árvores no Passaúna. São as pequenas ações que fazem a diferença”, enfatizou Marco Aurélio Lapchinski, de 19 anos. Já Vanessa Veiga, de 22 anos, participou da limpeza no Instituto de Educação do Paraná. “O trabalho voluntário é muito importante, mas acho que falta mobilização. O que está acontecendo hoje é um exemplo de que ainda podemos conta
r com a ajuda dos outros”, disse.
Saúde e cidadania – De acordo com a assessora de Relações Institucionais do Hospital Pequeno Príncipe, Paula Baena, os voluntários que participaram das ações do Dia V puderam perceber a magnitude do trabalho voluntário e trazer alegria para o ambiente hospitalar. “É um momento de inclusão e cidadania.” Guthiery Jordão Rosa, de 8 anos, morador de Santa Helena, no Oeste do Estado, está internado no Hospital Pequeno Príncipe desde a semana passada. “A presença dos voluntários é muito importante para a recuperação das crianças. Elas desestressam e até esquecem da doença”, disse a mãe do garoto, Lurdes Rosane Jordão Rosa.
“Desde janeiro, participo de atividades voluntária
s no Pequeno Príncipe. É muito gratificante ver o sorriso no rosto das crianças”, disse o analista de suporte, Edílton Scharam.
As voluntárias Vera Brito e Ilka Tripolosse participaram das atividades na Associação Paranaense Alegria de Viver (APAV), instituição que abriga crianças soropositivas. “Infelizmente ainda há muito preconceito e desconhecimento na hora de ajudar essas pessoas”, disse Vera. “Já realizo trabalhos voluntários há 15 anos. Ser volu
ntário é estar pré-disposto a saber o que as pessoas querem a ajudar”, afirmou Ilka, que trabalha no grupo de voluntários da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR)

Esta entrada foi publicada em Estadual, FIEP. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s