TECPAR CELEBRA CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO COM ASSOCIAÇÃO DE CRIADORES DE BOVINOS

O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) foi selecionado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para coordenar a elaboração e validação das normas de certificação do leite produzido no Brasil, com o objetivo de torná-lo competitivo e adequado às exigências do mercado internacional. A elaboração desse documento contou com a participação de diversos representantes de todos os elos da cadeia produtiva do leite.
O programa de produção integrada, fomentado pelo Mapa, por meio do CNPq, visa oferecer metodologia para garantir qualidade de produtos agropecuários, desde a propriedade rural até as gôndolas dos supermercados, além da identificação de origem e a rastreabilidade desses produtos.
Para apresentar os resultados obtidos pelo projeto, foi realizado o Seminário de Produção Integrada de Leite: Certificação de Lácteos, nos dias 26 e 27 de maio. Na oportunidade foi celebrado com a Associação Paranaense de Criadores Bovinos da Raça Holandesa (APCBRH) um convênio de cooperação para que, entre outras atividades, seja desenvolvido em conjunto o projeto Galaxis.
Esse projeto visa ao desenvolvimento de um sistema inteligente para análise de dados de produção leiteira e para orientação ao produtor quanto a correções nos seus processos, indicações de melhoria de qualidade e produtividade e disseminação das boas práticas na produção de leite.
Segundo o doutor em engenharia e gerente da Divisão de Inteligência Artificial do Tecpar, Milton Pires Ramos, por se tratar de um problema que envolve experiência profissional, conhecimentos e práticas muito específicos, e levando-se em conta o tamanho dos rebanhos, existem poucos especialistas aptos a realizar tal análise e tomar as decisões necessárias para o efetivo controle e manejo do rebanho. Dessa forma, os produtores acabam por ter informações ‘brutas’ sobre a condição do seu rebanho e produção, sem que haja uma análise crítica dos dados e, consequentemente, sem a capacidade de depreender a conduta a ser tomada para corrigir quaisquer desvios encontrados.
“Assim, tem-se um problema de análise de dados e contexto reconhecidamente de base heurística, isto é, um problema cuja solução depende muito da experiência prática acumulada por um especialista, e que exige claramente a aplicação de técnicas de engenharia do conhecimento e o desenvolvimento de um sistema especialista. Sistemas especialistas são sistemas computacionais desenvolvidos a partir de técnicas de Inteligência Artificial, orientados para a solução de problemas complexos em domínios muito específicos. São construídos com base no conhecimento adquirido de um ou mais especialistas, a fim de apresentar o mesmo desempenho desses especialistas na solução de problemas. As grandes vantagens do uso desses sistemas é que preservam e distribuem conhecimento estratégico caro e difícil de formar”, finaliza Ramos.
Esta entrada foi publicada em Agricultura, Alimentação, Estadual. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s