Pessuti deve autorizar a criação da Secretaria de Mulheres do Paraná e reativar Conselho Estadual

Medidas vão permitir ao estado ser signatário do Pacto Nacional de Enfrentamento da Violência contra a Mulher, obter recurso para este fim e atuar em parceria com o governo federal.
Em reunião na manhã desta segunda-feira (26) no Palácio das Araucárias com as deputadas estaduais Rosane Ferreira (PV) e Luciana Rafagnin (PT), com a pré-candidata do PT ao Senado, Gleisi Hoffmann, e com lideranças da sociedade civil, ligadas aos movimentos de mulheres do Paraná.

A primeira-dama do Estado, Regina Pessuti, disse que o governador Orlando Pessuti pretende assinar decreto reativando o conselho estadual de mulheres do Paraná. E não é só: Pessuti deve encaminhar até meados do mês de maio à Assembleia Legislativa uma mensagem propondo a criação da secretaria Estadual de Mulheres do Paraná. “Abre-se uma nova perspectiva de políticas públicas para as mulheres no Paraná”, afirmou Gleisi, que completou dizendo que “a intenção manifestada pela primeira-dama, Regina Pessuti, de criar órgão executivo, como uma secretaria, fará avançar muito mais nos direitos das mulheres e na participação política delas”.
Essa é uma antiga reivindicação que vai possibilitar ao estado, entre outras coisas, ser signatário do Pacto Nacional de Enfrentamento da Violência Contra a Mulher, obter recursos para esta finalidade e atuar em parceria com o governo federal. Até lá, a sociedade civil deverá realizar plenária dos movimentos sociais para indicar os nomes das pessoas que vão compor o conselho estadual de mulheres após a sua reativação. O conselho tem mandato de dois anos e é formado metade por mulheres representantes das instituições governamentais e a outra metade por integrantes de entidades da sociedade civil.
Além da proposta, o governo do estado formula a criação de linhas de microcrédito diferenciado para as mulheres com o objetivo de gerar trabalho e renda e empoderar economicamente elas, que representam quase 30% das chefes de família no país, segundo dados do IBGE. A deputada Luciana destacou a necessidade de priorizar algumas ações concretas a partir da reativação do conselho, como políticas públicas de saúde da mulher, combate à violência e a aposentadoria das donas de casa. “Esta última conquista é um grito de liberdade para muitas mulheres e estamos a um passo de conseguir regulamentar o que já é um direito previsto em lei”, comemora Luciana.
Já para Gleisi Hoffmann, a abertura do Governo do Estado em receber a sociedade, ouvir as reivindicações e encaminhar as soluções mostra a disposição em discutir e fortalecer parcerias. “O nosso estado é um dos poucos que ainda não assinou o Pacto Nacional de Enfrentamento da Violência Contra a Mulher. Com este compromisso temos a certeza que o Paraná poderá desenvolver excelentes parcerias com a Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres”, finaliza Gleisi.
Texto e fotos – Jornalista: Thea Tavares
Fonte: Assessoria de Imprensa Gleisi Hoffmann
Esta entrada foi publicada em Estadual, Geral, Gleisi Hoffmann, Mulher, Orlando Pessuti. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s